Aguarde. Carregando informações.

http://www.fat-al.edu.br

Aluno da FAT tem chances de defender o Brasil na natação, em 2018


Após ter se acostumado a vibrar com as conquistas do velocista Yohansson Nascimento, Alagoas está vendo surgir mais um talento no paradesporto. Aos 30 anos de idade, o nadador José Alexandre Júnior, estudante do curso de Direito da Faculdade de Tecnologia de Alagoas (FAT) e atleta da instituição, já conquistou títulos expressivos para o Estado.

Em 2017, o alagoano repetiu o feito de 2016 e sagrou-se bicampeão brasileiro de natação, nos Jogos Universitários (JUBS), em Goiânia. Feito que lhe rendeu uma pré-convocação para representar o Brasil nos Jogos Parapan-Americanos Universitários, em 2018, em São Paulo.

“Estou treinando de segunda a sábado, incansavelmente, com o meu técnico. Acredito que, para conseguir algo na vida, é preciso ter muito empenho no que você faz. E isso é o que busco a cada dia dentro da piscina. Inclusive, neste final de ano, vou ter apenas uma semana de férias. Tudo para ser o melhor no Parapan-Americano”, conta ele.

Em 2002, devido a um tumor na coxa esquerda, Júnior foi obrigado a passar por um processo cirúrgico por meio do qual amputou parte do fêmur. Com a amputação, o alagoano passou a ter uma perna menor do que a outra e necessita de um tênis adaptado para se locomover. Apesar da deficiência, o nadador faz questão de afirmar que possui uma vida normal, como qualquer outra pessoa.

“Mesmo tendo uma perna 10 centímetros mais curta que a outra, eu consigo levar uma vida igual a todo mundo. Claro que preciso de algum auxílio em viagens, para transportar minhas bagagens, por exemplo. Mas, tirando isso, pego ônibus todos os dias, vou para a faculdade, saio com meus amigos, tudo dentro da normalidade”, destaca.

Dois anos após a cirurgia, Júnior conquistou sua primeira medalha de ouro na natação, quando participou do Aberto de Caruaru, em Pernambuco. De lá para cá, ele não parou mais de subir no pódio. Além dos muitos títulos estaduais, o nadador acumula 15 medalhas em campeonatos brasileiros, sem contar com as medalhas de ouro nos 50 metros livres e 100 metros costas, conquistados durante o Open Internacional de São Paulo em 2014.

“Disputar uma competição representando o País e, ainda por cima, alcançar bons resultados é, sem dúvida, motivo de muita comemoração. Até então, essas foram as duas medalhas mais importantes da minha carreira”, comemora.

Erivaldo Silva “Shampoo”, Coordenador de Esportes da FAT, explica que o incentivo ao esporte é um dos grandes diferenciais da faculdade. “O binômio esporte e educação não pode ser dissociado porque a prática esportiva, além de um instrumento de formação do indivíduo, melhora o rendimento acadêmico”, destaca ele. “Em 2018, vamos buscar o fortalecimento da nossa marca junto à comunidade esportiva do nosso estado, participando de competições esportivas e promovendo ações sociais integradas ao esporte, mais uma contribuição para o desenvolvimento da sociedade. Esse é o jeito FAT de fazer esporte”, finaliza.

(Com portal Gazetaweb.com)

GALERIA DE IMAGENS


Sistema Acadêmico

Acessar